Quando fazer o teste do olhinho? | Gold Finger

Gold_Institucional_Blog_Teste_Olhinho

Oferecido gratuitamente pelo SUS, o teste do olhinho é importantíssimo para detectar qualquer problema na visão dos recém-nascidos.

A visão é um dos sentidos mais importantes do ser humano. Com ela, podemos enxergar o mundo através de nossos olhos.

O teste do olhinho é uma campanha idealizada pela Sociedade Brasileira de Pediatria e pelo Conselho Nacional de Oftalmologia, que visa a realização de um teste feito no olho do bebê logo após o nascimento.

O teste do olhinho tem como objetivo, identificar qualquer alteração no eixo visual da criança.

Detectar qualquer problema na visão dos bebês é importante para prevenir alguma doença ou distúrbio mais grave, como a cegueira, por exemplo.

Como é feito o teste do olhinho?

O teste do olhinho é realizado ainda na maternidade.

É um exame que não machuca o bebê, super rápido e simples, onde o médico pediatra ilumina o olho do recém-nascido através de um feixe de luz.

Esta luz é para identificar um reflexo vermelho no olho da criança, que também pode ser visto em fotografias com flash.

Caso o pediatra observe alguma anormalidade, o bebê passará por exames mais precisos com um oftalmologista.

O teste do olhinho deve ser repetido aos 4, 6, 12 e 24 meses das crianças e ele imprescindível para prevenir a cegueira infantil.

Ele é importante para todas as crianças, pois tem como finalidade, identificar algum tumor, catarata congênita, estrabismo ou glaucoma.

É obrigatório fazer o teste do olhinho?

No Brasil não existe uma lei federal que exige a obrigatoriedade do teste do olhinho, mas em estados brasileiros como São Paulo, Rio de Janeiro, Distrito Federal, Pernambuco, Bahia, Paraná, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Norte, Santa Catarina e Rio Grande do Sul o teste já é obrigatório em todas as maternidades e hospitais públicos e privados.

Para quem possui plano de saúde, o teste do olhinho é custeado 100% pelo plano desde 2010.

A Gold Finger, recomenda aos pais de recém-nascidos que façam o teste do olhinho em seus filhos, pois quanto mais cedo descobrir algum possível problema na vista da criança, mais fácil será seu tratamento.

Gostou deste post? Tem alguma dúvida ou sugestão?

Deixe seu comentário!

Qual a idade certa para levar a criança no oftalmologista? | Gold Finger

Gold_Institucional_Oftalmo_Blog

A volta às aulas sempre é um motivo de alegria para as crianças. Elas adoram retornar à escola para rever os amigos e contar todas as novidades das férias.

É nesta época que os pais devem ficar atentos, quanto ao rendimento escolar de seu filho.

De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) cerca de 30% das crianças em idade escolar possuem uma deficiência na vista, ou seja, 1 em cada 4 das crianças brasileiras entre 7 e 10 anos têm problema de visão.

Um número alarmante, pois a falta de conhecimento dos pais pode prejudicar a saúde ocular de seu filho a vida toda.

Além de prejudicar a saúde dos olhos, os problemas de visão podem acarretar outros problemas como, dificuldade no aprendizado, mudanças comportamentais e de personalidade.

Por isso, é importantíssimo que a criança passe periodicamente no oftalmologista.

Como perceber que a criança está com dificuldade para enxergar?

As crianças emitem alguns sinais aos pais quando estão com dificuldades para enxergar. Cabe ao responsável identifica-los e procurar a ajuda de um oftalmologista o mais rápido possível.

Mas como saber se a criança está com dificuldade para enxergar?

Para saber se seu filho está com problemas na visão fique atento a esses sinais:

#1 Sentar-se muito próximo à TV;

#2 Aproximar o livro muito perto do rosto para ler;

#3 Dores de Cabeça;

#4 Esfregar os olhos com frequência;

#5 Sensibilidade à luz;

#6 Vista cansada;

#7 Lacrimejamento excessivo;

#8 Fechar um olho para ler.

Caso você note alguns destes sintomas, é aconselhável levar a criança até o oftalmologista para realizar os exames de rotina.

Quais os principais problemas de visão na infância?

Miopia, hipermetropia, astigmatismo, estrabismo e ambliopia são problemas frequentes na infância, se não for tratado e corrigido a tempo, maiores complicações poderão surgir no desenvolvimento da criança.

A Gold Finger ressalta a importância em passar por exames oftalmológicos anualmente.

Gostou deste post? Tem alguma dúvida ou sugestão?

Deixe seu comentário! 😉

Como escolher joias infantis? | Gold Finger

As joias são ótimos presentes para eternizar momentos, não é mesmo?

É comum presentear nossos pimpolhos com joias infantis no nascimento, batizados e aniversários, pois elas têm grande apelo sentimental, além de durarem a vida toda.

Brincos, pulseiras e plaquinhas de ouro são mimos que normalmente costumamos presentear os pequenos, mas são tantas opções de joias infantis, que às vezes o mais difícil mesmo é escolher o que dar.

Não se preocupe, vamos te ajudar nesta missão!

Geralmente as joias infantis são feitas em ouro 18 quilates, que é hipoalergênico, para crianças com até 12 anos.

Mas por que não presentear a criança com ouro 24 quilates, já que é um material com ouro puro?

A resposta é simples, o ouro 24 quilates é mais maleável e por isso as peças precisam ser mais grossas e, consequentemente, mais pesadas. Já o ouro com menor quilate, como o de 14 quilates por exemplo, pode conter a presença de outros metais para não deixar a joia maleável e, desta forma, tende a causar mais reações alérgicas.

BRINCOS

2

Com modelos de pedrinha ou argolinha, os brincos são uma ótima opção de presente para as meninas.

Os brincos de pedrinha ou bolinha possuem a tarraxa baby, que protegem o bebê de eventuais machucados por terem apenas um furo, impedindo que o pino do brinco passe para o outro lado da tarraxa.

Outra opção de brinco são as argolinhas. Delicadas, podem ser usadas por meninas um pouquinho mais velhas.

PULSEIRA

pulseira_c391

A pulseira de ouro infantil é uma opção de presente não só para meninas, mas também para meninos.

Em vários modelos, as pulseiras fazem sucesso nos batizados e aniversários de um aninho. As mais comuns são as pulseiras de plaquinhas com o nome da criança gravado.

ANEL

1

Os anéis infantis são aconselhados para meninas maiores de 5 anos, pois acima dessa idade já não há mais o risco da criança colocar o anel na boca e engasgar.

Com todas essas dicas, se eu fosse você não perderia mais tempo e passaria agora mesmo na Gold Finger mais próxima para adiantar a compra do presente de natal dos pequenos!

Gostou deste post? Tem alguma dúvida ou sugestão?

Deixe seu comentário!

Sinais que podem ajudar a identificar um problema de visão no seu filho

problemas de visão na infancia

Por volta dos 5, 6 e 7 anos é que começamos a perceber se nossos filhos estão com algum problema de visão. É nessa idade que eles estão começando a pré-escola, estão aprendendo a ler e participando de atividades mais dinâmicas que pedem um pouquinho mais de esforço dos olhos. Alguns pequenos sinais podem ser observados pelos professores e dentro de casa, pela família. Fique atento e veja se o seu filho apresenta alguns dos sinais abaixo.

Sentar perto demais da televisão – Um dos primeiros sinais é quando o seu filho começa a sentar perto demais da televisão com uma certa frequência. Este pode ser um sinal de miopia.

Coceira nos olhos – Ela pode sinalizar a fadiga ocular, que pode ser causada por conjuntivite, irritações ou problemas de visão. O melhor é ir a um oftalmologista da sua confiança para fazer o diagnóstico.

Apertar os olhos para ler – Se o seu filho aperta um dos olhos enquanto esta tentando ler algo ou ver algo específico, pode ser que ele esteja tentando focalizar uma palavra ou um objeto inconscientemente e usando um dos olhos, o que ele enxerga melhor, para ver bem.

Leitura com dificuldade –
Seu filho já é alfabetizado, mas ainda pula linhas na hora de ler, ou se perde, pode ser astigmatismo ou estrabismo. Não deixe de investigar!

Dores de cabeça –  Dores de cabeça, principalmente na área da testa, podem ser sinais de problemas de visão. Observe os horários em que a criança reclama, se forem durante uma lição de casa, durante ou após a aula a tendência ainda é maior.

Sensibilidade à luz –  Crianças que reclamam da claridade da luz solar ou se incomodam muito com a luz de ambientes mais claros podem estar apresentando exotropia ou estrabismo.

Estes e outros sinais, como acompanhar a leitura com o dedo ou tapar um dos olhos com a mão, podem ser os primeiros de um problema de visão. Se constatado algum deles procure um bom oftalmologista e faça o diagnóstico.